Envelhecer com AmorAmor, eterno amor e a problemática do envelhecimento.

 

Atualmente, nossa sociedade ainda não sabe lidar com a categoria social que é a velhice, desta forma, a proposta desta leitura é instigar os leitores para uma reflexão sobre o envelhecimento no âmbito de afetos mais ausentes em nosso cotidiano. Mais particularmente, este ensaio versa sobre o amor no contexto do envelhecer. O conceito de amor aqui enfocado não é apenas o amor como um simples sentimento, mas também aquilo que gera movimento e mudança, o amor num sentido mais amplo, complexo, cheio de plenitude, capaz de fazer a vida girar.

 

Talvez, tenha sido ao assistir um filme sobre esse amor é que colhi reflexões que permitem a compreensão do mundo circundante. O filme “Amor, eterno amor”, de Paul Cox, foi a película que permeou o caminhar de tais reflexões compartilhadas daqui em diante. Assim, esta leitura pode apresentar-se como um momento de prazer, descobertas, reflexões, amor… não deixe chegar na velhice para se preocupar como a qualidade de vida que você leva. Aproveite cada momento como se fosse único e sigamos em frente.

 

Faça um exercício… de hoje para a próxima semana, quando será publicada a continuidade deste texto, pense sobre o seu processo de educação para o amor. Como você tem se educado para amar as pessoas, amar a si mesmo, amar a vida?
   
Escrito por: Wanda Patrocinio - 15/4/2008

GeroVida Todos os direitos reservados.2017 - Desenvolvimento - Dinamicsite®