Uso de remédios e velhiceOs medicamentos são parte da rotina de praticamente toda pessoa que está na terceira idade. Estudos mostram que cerca de 70% dos idosos têm ao menos uma doença crônica que requer tratamento médico e terapêutico, ou seja, uso de fármacos. No Brasil, os idosos consomem, em média, de 2 a 3,4 medicamentos por dia. Tomar vários medicamentos com horários e doses diferentes nem sempre é fácil, principalmente para as pessoas que têm problemas de memória.

 

Além da dificuldade que o variado número de medicamentos pode trazer ao dia a dia do idoso, também muda a forma como os remédios agem no corpo. Uma das diferenças está no fato de que, ao envelhecer, o corpo perde água e tecidos (principalmente músculos) e ganha mais gordura, o que pode fazer com que determinado medicamento fique mais tempo no organismo. Problemas nos rins e no fígado também acarretam dificuldade na eliminação de fármacos. Por isso, é preciso que o paciente converse com seu médico, atentando para todos esses fatores na hora de receber a receita de um remédio.

 

Dicas gerais:

 

- Não compre medicamentos em feiras livres ou camelôs.
- Só recorra a remédios caseiros após falar com o seu médico.
- Não compre vitaminas sem orientação médica.
- Exija a nota fiscal de todo remédio que você comprar.
- Não tome remédios receitados por amigos, familiares ou balconistas de farmácias e não dê ou indique medicamentos a outras pessoas.
- Não acredite nos remédios milagrosos (para reduzir peso, contra calvície e outros) anunciados na TV.
- Use o medicamento apenas durante o tempo recomendado e fique atento ao prazo de validade dos medicamentos.
- Não repita receitas. Lembre-se de que somente o médico pode avaliar se o tratamento deve continuar ou não.

 

Publicado no Guia Idoso – Serasa

GeroVida Todos os direitos reservados.2017 - Desenvolvimento - Dinamicsite®